Notícias

Turra participa de evento sobre o Mercado Ilegal de Defensivos Agrícolas no Brasil

11/08/2021

Como presidente da Frente Parlamentar de Combate aos Crimes Agropecuários da Assembleia Legislativa, o deputado Estadual Sérgio Turra (Progressistas) participou do lançamento do estudo sobre os ilícitos envolvendo defensivos agrícolas no país. O evento, realizado pelo Instituto de Desenvolvimento Econômico e Social de Fronteiras (IDESF), aconteceu na manhã desta quarta-feira (11), na sede da Polícia Rodoviária Federal (PRF), em Porto Alegre.

 

Para Turra, debates como este são extremamente necessários em um país essencialmente agrícola. “Temos que ter esta pauta como bandeira. Por isso, encaminhei ao Ministério da Justiça uma proposta de criação de uma Política Nacional de Segurança Rural, com base na bem-sucedida Delegacia de Polícia Especializada na Repressão aos Crimes Rurais e Abigeato (Decrab), implantada no Rio Grande do Sul”.

 

Proposta por Turra, em 2018 o governo do Estado inaugurou a primeira Decrab em Bagé. Com esta iniciativa inédita no Brasil, o Rio Grande do Sul apresentou queda de 50% nos crimes de abigeato. “A delegacia deu tão certo que a criminalidade foi obrigada a recuar. Este grande avanço no combate ao crime organizado no campo precisa ser replicado em outros estados da Federação”, afirmou.

 

O parlamentar também considera expandir as discussões acerca dos casos de contrabando, falsificação e roubo de defensivos agrícolas e levar o tema para debate no Congresso Nacional.  “A regiões de fronteira são porta de entrada para produtos piratas. A fiscalização dessas regiões é de responsabilidade de órgãos federais e um aspecto muito importante no combate a esses crimes. Por isso, essa questão precisa ser tratada em âmbito nacional”, explicou.

 

Durante o lançamento da pesquisa “O mercado Ilegal de Defensivos Agrícolas no Brasil”, o presidente do IDESF, Luciano Barros, traçou um panorama do contrabando no Brasil. Em 2020 a PRF apreendeu 70,4 toneladas de agroquímicos ilegais nas estradas brasileiras. Um crescimento de 13,7% em relação ao ano anterior. “Estamos, a cada ano, tendo safras recordes de grãos no Brasil. Em conformidade com este crescimento, aumenta a organização das quadrilhas que atuam no campo. Roubo, falsificação, desvio de finalidade de uso e contrabando, compõem o mercado ilegal”, pontuou.

 

“Grandes problemas precisam ser enfrentados com seriedade. Em um país que tem quase um terço de seu PIB gerado pelo agronegócio, e commodities agrícolas como principais produtos de sua pauta de exportações, a segurança rural é garantia de estabilidade econômica, segurança alimentar, e geração de renda e de empregos”, finalizou Turra.


Compartilhe

Galeria de fotos