Notícias

“Não mudei minha convicção porque mudou o governo. Sigo contra o aumento de impostos”, afirma Turra

17/08/2020

Após um mês de reuniões com entidades e a sociedade, o governo do Rio Grande do Sul apresentou à Assembleia Legislativa, no último dia 10, as alterações na proposta da nova Reforma Tributária do Estado. A pedido do governador, Eduardo Leite, a proposta tramitará em regime de urgência. Desta forma, as mudanças deverão ser discutidas pelos parlamentares até a segunda quinzena de setembro, permitindo a sanção até o final do mês. O objetivo do executivo gaúcho é que as novas regras passem a valer em janeiro de 2021.

 

Para o líder da Bancada do Progressistas na Assembleia Legislativa, deputado Sérgio Turra, o projeto é bastante profundo e complexo, o que exigirá muito estudo e diálogo para que possa ser aprovado. “Lastimavelmente o Estado recorre ao aumento de impostos para manter a arrecadação sem enfrentar, com ênfase, a diminuição do gasto público e do tamanho da máquina estatal. É como mudar a encilha, embora o problema seja o cavalo”, explica.

 

O parlamentar defende a simplificação e modernização do sistema tributário, mas afirma: “tenho convicção de que não podemos mais suportar aumento de impostos”.

 

Turra, que sempre defendeu a redução dos tributos, votou contra a proposta de aumento de Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS), em 2015, e apresentou emenda que barra o aumento de tributos a partir da adesão do Estado ao Regime de Recuperação Fiscal, em 2018. “Muitos têm me perguntado sobre como vou votar a Reforma Tributária. E, para que não paire qualquer dúvida, sou irreversivelmente contra aumentos. Não mudei minha convicção porque mudou o governo. Sigo contra qualquer aumento de impostos”, afirmou o parlamentar.


Compartilhe