Artigos

Pela volta às aulas presenciais

14/04/2021

Nesta época do ano, nossas escolas estariam cheias de estudantes - e de vida! A pandemia mudou esta realidade em 2020. E ameaça a continuidade das aulas presenciais também em 2021.  Caminhamos para o segundo ano de isolamento de crianças e adolescentes em fase de socialização. Mais um ano de aulas virtuais - isso para os que podem ter acesso a uma boa banda larga de internet - que não substituem a contento a atividade das aulas presenciais.

Com todos os cuidados sanitários, precisamos promover o retorno imediato às aulas presenciais. Pedagogos sérios asseguram que o convívio é fundamental para o aprendizado das crianças. Nenhuma aula virtual substitui a presença do professor em sala de aula e a convivência com os colegas.  Na rede pública, justamente onde os alunos têm mais dificuldade de acesso à internet, a merenda escolar é, por vezes, a principal fonte de alimentação de crianças em fase de crescimento. Essas crianças não estão tendo acesso a isso.

É também nas aulas presenciais que algumas dificuldades de aprendizado, causadas por problemas de visão ou de audição, são detectados - e podem ser tratados. Distúrbios psicológicos e comportamentais  também. Por essas e outras razões, educadores do mundo inteiro têm defendido a manutenção das aulas presenciais mesmo em meio à pandemia - desde que cercadas de todos os cuidados sanitários. 

No ano passado, o Brasil foi um dos países em que crianças permaneceram por mais tempo ausentes dos bancos escolares. Se países desenvolvidos optaram por enviar suas crianças às escolas mesmo durante períodos de lockdowns, por que o Brasil escolheu a segregação por tempo indeterminado? Infelizmente, essa situação é mantida aqui no Estado por uma decisão equivocada do Poder Judiciário - que vai além de sua competência e invade a seara do Poder Executivo. 

Há, obviamente, cuidados que devem ser tomados. Higiene. Máscaras. Medição de temperatura. Distanciamento físico. Não compartilhamento de objetos pessoais. Restrições a esportes e brincadeiras coletivos precisam ser respeitados. Também é importante que os professores sejam fortemente protegidos, inclusive seguindo a luta para que sejam incluídos entre os grupos prioritários para receber a vacina.

Com todos esses cuidados, poderemos retomar as aulas presenciais com segurança . Grande parte dos alunos da rede pública de ensino não tem acesso a bons computadores e redes de wi-fi para acompanhar as aulas virtuais. Além disso, seus pais e mães também precisam trabalhar - muitos fora de casa  - e não podem acompanhar as teleaulas de seus filhos. Então, vamos todos fazer a nossa parte para garantir a volta de nossas crianças às salas de aula.


Compartilhe